Em construção!

Kenia Libanio 1x1.png

KÊNIA LIBANIO

  • Facebook
  • Instagram

Direção Geral

Graduada em Piano e com especialização em Educação Musical. Foi assessora de planejamento da Secretaria Municipal de Cultura de Uberlândia, no período de 1986 a 1989, durante a implantação do órgão. Desde 1995, atua frente à Casa de Música como professora e coordenadora dos projetos "Circuito Cultural", "Concertos para Ouro Branco", "Semana da Música de Ouro Branco" e "Dando Cordas".

Matias de Oliveira Pinto_edited.jpg

MATIAS DE OLIVEIRA PINTO

  • Facebook
  • Instagram

Direção Artística e Violoncelo

Matias é natural de São Paulo onde iniciou seus estudos musicais. Em 1980, mudou-se para Berlim como bolsista da Fundação Herbert von Karajan. Na Europa estudou na Escola Superior de Música de Berlim (HdK) e na Academia Franz Liszt de Budapeste.

Pedagogo muito solicitado, Matias é professor de violoncelo na Universidade das Artes de Berlim, na Faculdade de Música de Münster e frequentemente ministra masterclasses em diversos países. O músico realiza extensas turnês pelos EUA, vários países da América do Sul, toda a Europa, Ásia, Nova Zelândia e Austrália, apresentando-se também em importantes festivais.

Diretor Artístico do Festival Celloherbst, na Alemanha, tem se apresentado também como regente em vários países europeus. Em Berlim se apresenta nas salas de concertos mais importantes da cidade como, por exemplo, Philharmonie, Konzerthaus, Appollo-Saal Der Staatsoper, entre outras. Gravou Cd’s pelos selos europeus Academy, Kreuzberg Records, Bella Musica, Hungaroton Classics e Cello Colors.

Rommel Fernandes.jpeg

Rommel Fernandes

Violino

ROMMEL FERNANDES é atualmente o Spalla em Exercício da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e faz parte do corpo docente da recém-fundada Academia da Orquestra.

Elogiado pela crítica por sua "execução soberba e musicalidade aristocrática", bem como por sua "releitura vibrante, modernista porém elegante" do repertório tradicional, Rommel mantém intensa atividade como recitalista e músico de câmara, com recentes atuações na Fundação Maria Luisa e Oscar Americano (SP) e na Sala Cecília Meireles (RJ) e colaborações com os pianistas Cristian Budu e Gustavo Carvalho. Foi solista frente a diversas orquestras, incluindo a Filarmônica de MG, as Sinfônicas do Estado de São Paulo (como vencedor do concurso Jovens Solistas), de Campinas, da Polícia Militar de MG, da UFMG e da Unisinos, além das Orquestras de Câmara L'Estro Armonico, Sesiminas, Advent (ao lado de Jacques Israelievitch, ex-Spalla da Sinfônica de Toronto) e da Northwestern University.

Doutor e Mestre em Música com “Honors” pela Northwestern University (EUA) na classe de violino de Gerardo Ribeiro, Rommel frequentou também o Lucerne Festival Academy (Suíça), onde aperfeiçoou-se em repertório orquestral e camerístico moderno e contemporâneo com Pierre Boulez e membros do Ensemble Intercontemporain e do Quarteto Arditti. Como bolsista do Tanglewood Music Center (EUA), estudou música de câmara com membros dos quartetos de cordas American, Cleveland, Concord, Juilliard e Muir e foi Spalla da Orquestra do Tanglewood Music Center sob regência de Bernard Haitink e James Levine. Como membro da Chicago Civic Orchestra, Rommel trabalhou com regentes e solistas como Sir Andrew Davis, Andris Nelsons, Charles Dutoit, Christoph von Dohnányi, Christoph Eschenbach, Daniel Barenboim, David Robertson, Gidon Kremer, Lorin Maazel e Pierre Boulez.

Iberê.jpg

Iberê carvalho

  • Facebook
  • Instagram

Viola

Iberê Carvalho mantém atividade artística intensa e regular no Brasil e na Europa, atuando como solista camerista e violista convidado. Leciona regularmente em festivais e Masterclasses livres. Iniciou seus estudos em João Pessoa Obteve o título de bacharel pela UFMG sob orientação do prof. Dr. Carlos Aleixo e foi orientado em música de câmara pelos professores Celina Szvrinsk e Miguel Rosselini.  Mestrando pela Hochschule für Musik und Dastelle Kunst Frankfurt Main sob a orientação da profª. Ingrid Zur.

É membro e fundador do Quarteto de piano e cordas Antos, diretor do festival Independente de música de câmara da Paraíba e atua como solo viola na Orquestra ORSO em Berlin e Freiburg. Foi premiado em vários festivais e concursos brasileiros, atuou como convidado de importantes orquestras profissionais Brasileiras. idealizador e apresentador da série de lives entrevistas Sons, Notas e Identidade, um programa  que visa trazer à tona artistas pretos e pretas do cenário da música de concerto no Brasil e no mundo e cofundador e membro da direção do Coletivo Ubuntu, que vem promovendo ações em busca da equidade e em prol da causa negra na música de concerto.

Marcio Carneiro.jpg

MÁrcio Carneiro

Violoncelo

Márcio Carneiro nascido no Rio de Janeiro, iniciou seus estudos musicais com a idade de seis anos. Depois de um primeiro prêmio que lhe foi atribuido pela Associação das Escolas de Música do Brasil, Márcio Carneiro veio para a Europa prosseguir estudos de aperfeiçoamento com André Navarra.

Em 1977 obteve, com a mais alta distinção o diploma de solista da Nordwestdeutsche Musikakademie (Musikhochschule Detmold) onde dois anos mais tarde foi nomeado por concurso professor catedrático. Atualmente concentra sua atividade pedagógica no  conservatório superior de Lausanne-Sion na Suíca.

Como solista, Márcio Carneiro apresenta-se com numerosas orquestras e em recitais por toda a Europa, Japão, Coréia e nas Américas. A crítica refere-se com particular relêvo à „beleza da sonoridade, perfeição técnica e à autenticidade do seu estilo".

Recebeu o ,Diploma de Honra' da Academia Chiggiana de Siena, e foi premiado no Concurso Tschaikowsky de Moscou.

Márcio Carneiro é artista participante em Festivais como Florença, Arezzo, Sion, Flaine, Óbidos, Estoril e Bariloche além de "Master Classes" em Santiago (Chile), Austin (Texas) , Seoul (Coréia), Dublin (Irlanda), Courchevel (França), e San Francisco (Califórnia). Em Portugal é convidado pela "Metropolitana" e pelo conservatorio de Carnide (Lisboa), como também em Aveiro, Porto, Óbidos e Sines.

Felipe Costa.jpeg

Filipe Costa

Contrabaixo

Nascido em Ouro Branco, Filipe Costa iniciou seus estudos com o Prof. Thiago dos Santos na Casa de Música de Ouro Branco em 2013, onde estudou até 2017. No ano seguinte, ingressou na UFMG onde passou a ser orientado pelo Prof. Dr. Fausto Borém.
Já participou de vários festivais de música, dentre eles: Gramado in Concert 5 e 6, Festival Internacional de Pelotas, várias edições da Semana da Música de Ouro Branco e do Dia do Contrabaixo, onde teve aulas com professores como: Petru Iuga, Pedro Gadelha, Neto Bellotto, Ana Valéria Poles, Alberto Bocini, Alexandre Ritter, Eder kinappe, dentre outros.
Hoje segue estudando na UFMG, integra a Orquestra Sesiminas, Orquestra Musicoop e Academia da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, onde atua em concertos da Orquestra e participa de recitais solo e de música de câmara.

Raphael Egídio 1x1.png

RaPHael egídio

Violino - Suzuki

Raphael Egídio é fundador e diretor do Centro Suzuki de Brasília. Violinista, licenciado em Artes e pós-graduado em Educação Musical.

Em 2009 se tornou professor integrante da “Suzuki Association of the Americas” tendo desde então participado de festivais e encontros para professores no Brasil, Perú, Colômbia, Argentina, México e Estados Unidos. 

Entre 2010 e 2018 coordenou os módulos de violino e viola do Programa "Música para Crianças”, realizado na Universidade de Brasília—UnB. Este programa recebeu o “Prêmio Profissionais da Música 2017”, no módulo “Criação, Projeto de Educação Musical”.

Em 2016, concluiu (pela primeira vez) a capacitação nos 10 livros de violino da metodologia Suzuki e possui mais de 30 cursos realizados e registrados na SAA. 

Foi o primeiro professor residente na América Latina a possuir a premiação “Certificate of Achievement- Level 1″ conferido pela “Suzuki Association of the Americas” a professores que demonstram um excelente compromisso com a excelência em seu ensino, tendo recebido essa certificação em cerimônia de premiação no "Leadership Retreat", em Ohio (EUA) e é membro fundador do Quarteto Natan Schwartzman.

Matias 1 (14) (1).jpg

matias estigarribia

Violoncelo - Suzuki

Matias Estigarribia nasceu na cidade Argentina de Resistencia, na provincia de Chaco. Começou seus estudos musicais de violoncelo aos 6 anos com a professora Patricia Pasmanter. Participou de numerosas master class ditadas por diversos professores como Tanya L. Carey (De Paul University, IL), Mark Tanner (New West Symphony, LA), entre outros. No ano 2004 começou a se especializar na metodologia Suzuki, ganhando numerosas bolsas da Suzuki Association of the Americas para fazer a formação.  Os seus professores capacitadores foram: Tanya L. Carey (Celo), Patricia Pasmanter (Celo), David Evenchick (Celo), Caroline Fraser (Piano), Wan Tsai Chen (SECE) e Lynn Mc Call(SECE). Além da formação troncal da metodologia Suzuki, ele tambem tomou numerosos cursos como: Introdução a Dalcroze para professores Suzuki, Pre Estrelinha, “Cello Playing is Easy” ou estratégias do ensino. Como professor Suzuki participou numerosas vezes de diferentes festivais e eventos como Festival Internacional Suzuki de Lima ou Festival de Cellos de Santa Fe.

Fez parte do ensamble de celos “Pablo Casals” desde o ano 2004, ensamble com que se apresentou em diversas cidades de Argentina como Mar del Plata, San Martin de los Andes, Junin de los Andes. A partir do ano 2007 começou a lecionar na escola “Escuela de cuerdas Pablo Casals” como professor de celo, piano e SECE, trabalhando com a Teacher Trainer Patricia Pasmanter. No ano de 2021 mudou- se para a cidade de São José dos Campos, onde começou a formar parte da escola Metodo Suzuki Sao Jose dos Campos como professor de violoncelo e piano.

Liliana Botelho - foto 16.jpg

liliana botelho

Piano

Liliana Botelho é Bacharel em Piano, Mestre em Música e Doutora em Educação Musical, todos pela Escola de Música da UFMG. É professora do Curso de Licenciatura em Música da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) onde atua no ensino, pesquisa e extensão nas áreas de Percepção Musical, Educação Musical e Pedagogia do Instrumento, desde 2009. É coautora dos livros Piano. Pérolas 1 e 2.

Paula Pires 1x1.png

Paula Pires

  • Facebook
  • Instagram

Sopros

Paula Pires é Mestra em clarinete solo, com nota máxima, pela Hochschule für Musik und Tanz Köln, na classe do professor Ralph Manno, e doutoranda em Música pela Universidade de Évora.

Iniciou seus estudos musicais em sua cidade natal, Belo Horizonte e concluiu seu bacharelado em clarinete pela UNESP, em São Paulo.

Bolsista de pós-graduação pelo DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico), também foi premiada com a bolsa de aperfeiçoamento técnico e artístico da FUNARTE, para estudos acerca de Karlheinz Stockhausen, além de vencedora do “1° Concurso Jovens clarinetistas Devon e Burgani”, “Jovem Músico BDMG” e do “II concurso de Jovens Solistas da OSMG”. 

Atua intensamente como camerista, instrumentista de orquestra e solista de Música contemporânea, tendo realizado importantes estreias Brasil afora. Apaixonada pelo ensino, integrou o corpo docente da EMESP Tom Jobim, em São Paulo, e tem participado como professora de diversos festivais nacionais e internacionais. 

Atualmente é integrante da OSTNCS, em Brasília e artista Marca reeds.

Edla-Lobaow.jpg

Edla Lobão

Musicalização

Desde 1983, Edla Lobão Lacerda é professora de Educação Musical e Coral Infantil na Fundação de Educação Artística.

Graduou-se em Piano pela Escola de Música da Universidade Católica da Bahia e em Licenciatura em Educação Musical pela Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, com especialização em Educação Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais, no curso de extensão.

Integrou a equipe de Educação Musical do projeto Música na Escola, desenvolvido pela Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais, ministrando treinamentos para professores dos conservatórios estaduais.

É convidada em diversos festivais de música como professora de Didática da Musicalização Infantil e Oficina de Coral Infantil, como os das cidades de Assunção (Paraguai), Belo Horizonte, Ouro Branco, Juiz de Fora e Salvador da Bahia.

Leonardo Amorim 1x1.png
Leonardo Amorim
  • Facebook
  • Instagram

Violão

Iniciou seus estudos em 1998 na Casa de Música de Ouro Branco. Graduou-se em Violão, pela Escola de Música da UEMG, sob a orientação do professor Ronaldo Cadeu. Estudou com os professores José Lucena, Marcos Vinícius e Luiz Naveda; participou de cursos e master classes com os professores Fábio Zanon, Paul Galbraith, Quarteto Ibirá de Violões, Turíbio Santos, Paulo Belinatti, Paulo Porto Alegre, Marcos Vinícios, Ângela Munner, Mário Ulloa e Antônio Escobar. Participou também do I e II Seminários de Educação Musical da UEMG. Atualmente, é professor de Percepção Musical, Violão e Coordenador do Grupo de Violões da Associação Cultural Casa de Música de Ouro Branco.