Circuito Cultural

Com a realização do Circuito Cultural, a Casa de Música busca difundir e valorizar a música erudita, bem como democratizar e ampliar o seu acesso. A realização de concertos didáticos da Orquestra de Câmara de Ouro Branco em diversas cidades contribui para que um número maior de pessoas seja beneficiado, além de o nome de Ouro Branco e do patrocinador ser levado aos quatro cantos do interior do Estado.

Além da divulgação cultural, o Circuito Cultural contribui para a formação de parcerias entre entidades e grupos culturais, fortalecendo a produção artística em Minas Gerais.

Outra contribuição do Projeto é a valorização de compositores brasileiros contemporâneos, através da encomenda das obras comissionadas à Orquestra de Câmara de Ouro Branco. A composição das obras revela a realidade e o caráter da composição musical brasileira, além de incentivar novos talentos.

Desde a criação do Circuito Cultural, são realizados quatro programas por ano, sendo que cada programa atende cerca de três cidades. A intenção é que nos próximos anos, dois programas sejam realizados em cidades da Estrada Real que ainda não tiverem sido contempladas. A Estrada Real é hoje pólo turístico e cultural de Minas Gerais e abrange 184 cidades e distritos. Desde 2003, o Circuito já passou por 17 municípios diferentes.

Todos os concertos do Circuito Cultural têm entrada franca.

Obras Comissionadas

Obras encomendadas pela Casa de Música a compositores atuais brasileiros e estrangeiros. As obras são escritas especialmente para a Orquestra de Câmara de Ouro Branco. O Projeto tem como proposta estimular e divulgar a pesquisa e a produção da música erudita contemporânea.

Em 2005, foram encomendadas e estreadas as primeiras obras:

  • Peripécias, de Calimério Soares
  • Sinfonieta Terza, de Ernani Aguiar
  • Ogum de Nagô, de Carlos Alberto Pinto Fonseca
  • Vertigem, Ópio e Lumenescência, de Ronaldo Cadeu
  • Cores e Formas, de Oiliam Lanna

Em 2007, outras três obras foram estreadas no Circuito Cultural de Abril, nas cidades de Tiradentes, Belo Horizonte e Ouro Branco:

  • Noctâmbulos, de Rufo Herrera
  • Concertino para Viola e Cordas, de Avelar Jr.
  • Pequena Fantasia, de Nelson Salomé

Em 2009 foi criado o Circuito Cultural Parcerias em conjunto com o projeto “Concertos para Uberlândia”, coordenado pela a Pianista Viviane Taliberti. O propósito desta criação foi o de abrir espaço para a divulgação de Jovens Músicos, incentivando a carreira profissional e possibilitando a inserção dos mesmos no mercado de trabalho. O diferencial deste projeto foi que os músicos selecionados tiveram a oportunidade de solar frente à orquestra pela primeira vez. O projeto aconteceu nas cidades de Uberlândia, Araguari, Ouro Branco e São João Del Rei, tendo grande repercussão no meio musical, nas comunidades e conquistando o apoio dos órgãos afins.