Inscrições 2ºsemestre 2016

Publicado
19 de Jul
2016

Casa de Música abre inscrições para segundo semestre

Interessados podem se inscrever entre os dias 25 e 27 de julho nos cursos de musicalização, flauta doce, violão e contrabaixo

 

A Casa de Música de Ouro Branco está com inscrições abertas para jovens e crianças. Para o segundo semestre de 2016, há vagas nos cursos de musicalização e flauta doce (de 7 a 10 anos),  violão e contrabaixo (de 10 a 15 anos). Os interessados podem se inscrever entre os dias 25 e 27 de julho pelo e-mail casademusicaob@gmail.com, nas sedes da instituição (bairros Pioneiros e Luzia Augusta) ou ainda pelo telefone (31) 3742-3553.

Horários e locais de inscrição:

Casa de Música Luzia Augusta: 8 às 11 horas

Casa de Música Pioneiros: 14 às 18 horas

Os inscritos participarão de um processo seletivo nos dias 28 e 29 de julho. O resultado será divulgado dia 30/07 e as matrículas deverão ser confirmadas de 1º a 3 de agosto. As aulas para os novatos terão inicio no dia 8 de agosto.

 As inscrições feitas por e-mail devem conter os seguintes dados: nome completo, idade, turno na escola, telefone, nome do responsável e instrumento escolhido. A inscrição é gratuita.

Endereços da Casa de Música de Ouro Branco:

1) Av. Augusto Barbosa da Silva, 313, bairro Pioneiros

2) Rua Bahia, 514 – Bairro Luzia Augusta

A Casa de Música conta com patrocínio da Gerdau e  da Milplan Engenharia através das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura.

Mais informações no site: www.casademusica.org;

Casa de Música de Ouro Branco

A Casa de Música é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações na área de ensino e divulgação da música erudita. Criada em 2001 por um grupo de professores e pais de alunos, a entidade tem como principais objetivos promover a difusão e a divulgação do acesso à música, criar alternativas de inserção e incentivar o intercâmbio cultural e a carreira de jovens músicos.

Sobre a Gerdau

A Companhia é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que estão ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Com mais de 45 mil colaboradores, a Gerdau possui plantas industriais nas Américas, na Europa e na Ásia.

A Gerdau segue os princípios do desenvolvimento sustentável e acredita que o crescimento de uma empresa está diretamente ligado ao relacionamento ético e socialmente responsável com todos os públicos com os quais se relaciona. Com mais de 114 anos de história e presente em 14 países, por meio de operações que atuam nas várias etapas da indústria do aço, a Empresa tem trabalhado em iniciativas voltadas à educação, mobilização voluntária e qualidade em gestão. Em Minas Gerais, que possui riquezas históricas e culturais, a Gerdau também apoia projetos voltados à preservação do patrimônio.

www.mmgerdau.org.br

Sobre a MILPLAN Engenharia

Com quase 34 anos de existência, a MILPLAN, uma empresa mineira, esteve sempre voltada à execução de obras de construção e montagem eletromecânica de unidades e complexos industriais, junto as maiores e mais importantes indústrias de base e de transformação do Brasil. São mantidos até 15 canteiros de obras nas diversas regiões do Brasil, onde são gerados 4 mil empregos diretos. A MILPLAN busca estabelecer uma relação de respeito, harmonia e responsabilidade com as comunidades onde está inserida. Inclui-se neste princípio, a preferência pela contratação de mão de obra, compra de insumos e recursos locais. A empresa apoia e participa, individualmente ou em parceria com os clientes, de projetos e programas sociais, culturais e esportivos junto às comunidades onde está atuando. Os colaboradores são incentivados a fazer parte

www.milplan.com.br

Resultado das avaliações 1ºsemestre 2016

Publicado
08 de Jul
2016

Para saber clique aqui: Notas.pdf 

Circuito Cultural 2016

Publicado
23 de Jun
2016

Orquestra de Câmara da Casa de Música realiza tripla jornada este final de semana: grupo se apresenta em Belo Horizonte, Ouro Preto e Ouro Branco

Público pode apreciar concertos no MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal (BH),  na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Ouro Preto) e no Hotel Verdes Mares (Ouro Branco)

A Orquestra de Câmara de Ouro Branco, grupo pertencente à Casa de Música, dá continuidade à série de concertos que realiza por Minas Gerais no Circuito Cultural 2016. No sábado, 2 de julho, a orquestra se apresenta às 11h no auditório do Hotel Verdes Mares, em Ouro Branco; e no domingo, 3 de julho, domingo, às 11h, no MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal, em Belo Horizonte, e às 17h na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, de Ouro Preto.

O público terá a chance de conhecer melhor o trabalho do novo regente da orquestra, o jovem maestro Marcos Silva Santos. Nascido em Belo Horizonte, Marcos estudou Regência na Universidade Federal de Minas Gerais.  Em 2010, ganhou a bolsa de estudos “Graduate Assistantship” para o mestrado na Ithaca College School of Music, em Nova Iorque (EUA), sob a orientação do professor Jeffery Meyer. Marcos tem participado de inúmeros festivais de música no Brasil, Estados Unidos e Europa e regido importantes grupos, além de se dedicar também aos estudos de composição, percussão, contrabaixo e violão clássico.

O repertório escolhido pela Orquestra de Câmara de Ouro Branco para os concertos contempla quatro compositores. Dois deles, brasileiros: Guerra Peixe (1914-1993) e Alberto Nepomuceno (1864 – 1920). 

De Guerra Peixe, a orquestra toca Mourão, composta enquanto ele integrava o movimento Armorial de Pernambuco. Fundada por Ariano Suassuna, a iniciativa buscava construir uma música erudita tipicamente nordestina. Já de Alberto Nepomuceno, o grupo executa Adágio para Cordas e Serenata para Cordas. Nepomuceno foi um dos primeiros compositores brasileiros a ir para a Europa, onde estudou com professores importantes e conviveu com Claude Debussy, Edvard Grieg, entre outros.  “As pessoas marcam muito o caráter nacionalista da obra de Nepomuceno, mas ele é também um compositor cosmopolita. Além disso, é muito importante para o canto brasileiro, já que escreveu óperas e canções com texto em português. Sem falar que compõe melodicamente muito bem”, explica o regente Marcos Silva Santos.

As outras duas obras elegidas foram Sonata a Quattro No. 3 in C major, do italiano Gioachino Rossini (1792 – 1868) e Simple Symphony, Op. 4, do britânico Benjamin Britten (1913 – 1976).  De acordo com Marcos, Rossini compôs a peça aos 12 anos de idade. “A obra instrumental de Rossini é pequena se comparada a sua produção de óperas – como O Barbeiro de Sevilha -  e de música sacra. No entanto, ele tem peças como a que vamos tocar que mostram todo o seu brilhantismo.  Nos escritos que deixou, ele já mais velho fala dessa obra com certo desprezo. Porém, nunca jogou a partitura fora e constantemente a revisava”, relata o regente.

A peça de Britten também foi composta quando ele era jovem. “Britten compôs temas durante a adolescência e depois os reuniu nessa obra. Usou movimentos da dança para estruturá-la. Simple Symphony é de 1934, período entre-guerras em que a Europa estava bem falida. Ou seja: escrever para orquestra de cordas era mais fácil. Portanto, temos aqui uma escrita sinfônica para um grupo menor”, explica Silva Santos.

As entradas para os concertos são gratuitas.

A Casa de Música conta com patrocínio da Gerdau e Milplan através das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura.

Orquestra de Câmara de Ouro Branco

Criada em 2001, a Orquestra de Câmara de Ouro Branco é formada por cerca de 20 alunos das oficinas de instrumentos da Casa de Música de Ouro Branco. Desde então, vem realizando diversos concertos em Ouro Branco e nas cidades da Estrada Real, dentro do Projeto Circuito Cultural, com o patrocínio da Gerdau, por meio das Leis Federal e Estadual de Incentivo à Cultura.

Um dos objetivos da Orquestra jovem é valorizar e incentivar a composição contemporânea de música erudita. Em 2005, a Orquestra estreou as primeiras obras comissionadas, escritas pelos compositores Calimério Soares, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ernani Aguiar, Ronaldo Cadeu e Oiliam Lanna. Em 2007, outras três obras foram estreadas. As obras foram compostas por Rufo Herrera, Avelar Jr. e Nelson Salomé.

Casa de Música de Ouro Branco

A Casa de Música é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações na área de ensino e divulgação da música erudita. Criada em 2001 por um grupo de professores e pais de alunos, a entidade tem como principais objetivos promover a difusão e a divulgação do acesso à música, criar alternativas de inserção e incentivar o intercâmbio cultural e a carreira de jovens músicos.

Mais informações: www.casademusica.org

Sobre a Gerdau

A Companhia é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que estão ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Com mais de 45 mil colaboradores, a Gerdau possui plantas industriais nas Américas, na Europa e na Ásia.

A Gerdau segue os princípios do desenvolvimento sustentável e acredita que o crescimento de uma empresa está diretamente ligado ao relacionamento ético e socialmente responsável com todos os públicos com os quais se relaciona. Com mais de 114 anos de história e presente em 14 países, por meio de operações que atuam nas várias etapas da indústria do aço, a Empresa tem trabalhado em iniciativas voltadas à educação, mobilização voluntária e qualidade em gestão. Em Minas Gerais, que possui riquezas históricas e culturais, a Gerdau também apoia projetos voltados à preservação do patrimônio.

MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

Com 18 salas e 44 atrações, o MM Gerdau abriga um importante acervo sobre mineração e metalurgia. Usa recursos tecnológicos para destacar, de forma lúdica e interativa, a importância dos metais e minerais no cotidiano das pessoas. Além disso, marca a relação entre a história e as expressões culturais de Minas Gerais com a riqueza de seus recursos naturais. O Museu foi aberto ao público em 22 de junho de 2010 e desde 1º de dezembro de 2013 está sob a gestão da Gerdau, líder no segmento de aços longos das Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais no mundo. O MM Gerdau integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade e ocupa o antigo edifício da Secretaria de Estado da Educação, inaugurado em 1897 e tombado pelo Iepha/MG. O projeto de ampliação e adequação do prédio é do arquiteto Paulo Mendes da Rocha. A museografia é assinada por Marcello Dantas. O MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal tem o certificado de excelência do TripAdvisor e foi a primeira instituição museológica do Brasil a receber a certificação do Instituto Herity em gestão da qualidade do patrimônio cultural. 

Endereço: Praça da Liberdade S/N, Prédio Rosa - Funcionários

Telefone: (31) 3516-7200

Funcionamento: Terça a domingo, das 12h às 18h (quinta, das 12h às 22h)

Entrada franca

www.mmgerdau.org.br 

MILPLAN Engenharia

Com quase 34 anos de existência, a MILPLAN, uma empresa mineira, esteve sempre voltada à execução de obras de construção e montagem eletromecânica de unidades e complexos industriais, junto as maiores e mais importantes indústrias de base e de transformação do Brasil. São mantidos até 15 canteiros de obras nas diversas regiões do Brasil, onde são gerados 4 mil empregos diretos. A MILPLAN busca estabelecer uma relação de respeito, harmonia e responsabilidade com as comunidades onde está inserida. Inclui-se neste princípio, a preferência pela contratação de mão de obra, compra de insumos e recursos locais. A empresa apoia e participa, individualmente ou em parceria com os clientes, de projetos e programas sociais, culturais e esportivos junto às comunidades onde está atuando. Os colaboradores são incentivados a fazer parte do voluntariado de cada ação como estímulo à consciência cidadã. Este conceito tem como objetivo deixar legados à sociedade onde esteve inserida.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de Ouro Preto

A igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de Ouro Preto é a representante mais fiel da arquitetura religiosa genuinamente barroca em Minas. Quem caminha até o largo onde fica a igreja percebe de longe a imponência da construção: o Rosário tem movimento. A forma arredondada, difundida na Europa por Francesco Borromini, e o telhado são bem diferentes da maioria dos templos mineiros. A igreja foi fundada pela irmandade de mesmo nome, que conciliava a convivência entre grupos africanos de todas as origens. As irmandades do Rosário dos Pretos foram as primeiras associações leigas a surgir nas Minas, muito frequentadas em face do grande contingente de escravos.

SERVIÇO

Concertos da Orquestra de Câmara de Ouro Branco

Regência: Marcos Silva Santos

2 de julho – sábado

Horário: 11h

Local: Hotel Verdes Mares (rua Santo Antônio, 115, Centro, Ouro Branco)

3 de julho - domingo

Horário: 11h

Local: MM GERDAU-Museu das Minas e do Metal de Belo Horizonte

(Praça da Liberdade, s/n, Belo Horizonte)

Horário: 17h

Local: Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

(Largo do Rosário, s/n, Ouro Preto)

PROGRAMA

Alberto Nepomuceno

Adágio para Cordas

Serenata para Cordas

G. Rossini

Sonata a Quattro No. 3 in C major

                         I. Allegro

                         II. Andante

                         III. Moderato

Benjamin Britten

Simple Symphony, Op. 4

                                 I - Boisterous Bourrée- Allegro molto

                                 II - Playful Pizzicato – Presto possibile

                                 III - Sentimental Sarabande – poco lento e pesante

                                 IV -  Frolicsome Finale – Prestissimo con fuoco

Guerra Peixe

Mourão 

Circuito Cultural 2016

Publicado
06 de Mai
2016

Orquestra de Câmara de Ouro Branco realiza dois concertos em maio, um deles em Belo Horizonte

Grupo se apresenta dia 22 na Fundação de Educação Artística (Belo Horizonte) e na Igreja da Sagrada Família (Ouro Branco). 

A Orquestra de Câmara de Ouro Branco, grupo pertencente à Casa de Música de Ouro Branco, dá continuidade à série de concertos que realiza por Minas Gerais no Circuito Cultural 2016. Dia 22 de maio, domingo, o grupo se apresenta duas vezes: às 11h na Fundação de Educação Artística, em Belo Horizonte; e às 20h na Igreja da Sagrada Família, em Ouro Branco.

Com regência de Marcos Silva Santos, a Orquestra de Câmara de Ouro Branco escolheu um repertório diversificado.

A primeira peça escolhida foi a Sinfonia 27, em Sol Maior, de Joseph Haydn, em três movimentos - Allegro molto, Andante: siciliano, e Finale: Presto. Haydn foi um dos mais importantes compositores do período clássico e personifica o chamado "classicismo vienense" ao lado de Wolfgang Amadeus Mozart e Ludwig van Beethoven. Em seguida, o programa traz Simple Symphony, de Benjamin Britten (1913 – 1976), compositor, maestro e pianista britânico. A estreia da obra foi em 1934 em Norwich, com o próprio compositor conduzindo uma orquestra amadora. A composição é baseada em oito temas, dois por movimento, que Britten escreveu durante sua juventude e pelos quais ele tinha certa predileção.

A partir desse ponto, a Orquestra de Câmara de Ouro Branco apresenta obras que mostram diferentes aspectos da música brasileira. A primeira é Cordel No. 1  “A Saga do Corisco”, do compositor Liduino Pitombeira, nascido no Ceará, em 1962. Pitombeira tem um catálogo de 104 obras, dentre as quais duas sinfonias, uma ópera, três concertos e diversas formações instrumentais e corais. No Ceará, atuou como professor da Universidade Estadual do Ceará. Reside nos EUA desde 1998, é Ph.D. em Composição pela Universidade de Louisiana, onde leciona atualmente como professor visitante. O encerramento  do concerto será com Ponteio, de Claudio Santoro (1919 – 1989). A peça, para orquestra de cordas, foi composta em 1953. “Cláudio Santoro foi um típico compositor brasileiro do século XX: foi ativo, prolífico, teve uma vida movimentada, daquelas que talvez merecessem até filme, e uma produção das mais ricas, com um catálogo de mais de 500 itens que abrangeu as mais diversas áreas, da ópera à música de câmera, incluindo música sinfônica, vocal, instrumental e eletroacústica”, escreveu o crítico musical Irineu Franco Perpetuo.

A Casa de Música conta com patrocínio da Gerdau e Milplan através das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura.

Orquestra de Câmara de Ouro Branco

Criada em 2001, a Orquestra de Câmara de Ouro Branco é formada por cerca de 20 alunos das oficinas de instrumentos da Casa de Música de Ouro Branco. Desde então, vem realizando diversos concertos em Ouro Branco e nas cidades da Estrada Real, dentro do Projeto Circuito Cultural, com o patrocínio da Gerdau, por meio das Leis Federal e Estadual de Incentivo à Cultura.

Um dos objetivos da Orquestra jovem é valorizar e incentivar a composição contemporânea de música erudita. Em 2005, a Orquestra estreou as primeiras obras comissionadas, escritas pelos compositores Calimério Soares, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ernani Aguiar, Ronaldo Cadeu e Oiliam Lanna. Em 2007, outras três obras foram estreadas. As obras foram compostas por Rufo Herrera, Avelar Jr. e Nelson Salomé. A Orquestra de Câmara de Ouro Branco tem como regente titular o Maestro Charles Roussin.

Casa de Música de Ouro Branco

A Casa de Música é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações na área de ensino e divulgação da música erudita. Criada em 2001 por um grupo de professores e pais de alunos, a entidade tem como principais objetivos promover a difusão e a divulgação do acesso à música, criar alternativas de inserção e incentivar o intercâmbio cultural e a carreira de jovens músicos.

Mais informações: www.casademusica.org

SERVIÇO

Concertos da Orquestra de Câmara de Ouro Branco

Regência: Marcos Silva Santos

22 de maio - domingo

Horário: 11h

Ingressos: meia- R$10,00 e inteira-R$20,00.

Local: Fundação de Educação Artística (rua Gonçalves Dias, 320, bairro Funcionários, Belo Horizonte)


Horário: 20h

Local: Igreja da Sagrada Família (rua Amintas Jaques de Morais, 820, bairro Pioneiros, Ouro Branco)

Entrada gratuita

PROGRAMA

  J. Haydn – Sinfonia nº 27 em Sol maior

  I-  Allegro molto

  II-  Andante Siciliano

  III-  Finale- Presto

Benjamim Britten - Simple Symphony op. 4

I-  Boisterous Bourrée- Allegro molto

II-  Playful Pizzicato – Presto possibile- pizzicato sempre

III-  Sentimental sarabanda – poco lento e pesante

IV-  Frolicsome Finale – Prestissimo com fuoco

Liduino Pitombeira - Cordel N0. 1  “ A Saga do Corisco”

I-  Emboscada

II-  Crepúsculo

III-  Desafio

   

Claudio Santoro

Ponteio

 

Doação do imposto de renda 2016

Publicado
29 de Mar
2016

AO INVÉS DE DAR DINHEIRO PARA O GOVERNO, DOE PARA A CASA DE MÚSICA DE OURO BRANCO E TRANSFORME A VIDA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES.

A sua doação poderá ser efetuada até o dia 29 de abril de 2016 e deduzida do Imposto Sobre a Renda da Pessoa Física, ainda em 2015, por meio do próprio Programa da Declaração de Ajuste Anual(DAA) - 2015.

Ao realizar a sua doação se você tiver Imposto a Pagar, o valor doado é deduzido do imposto devido e se tiver Imposto a Receber, o valor da doação é acrescido à restituição.

Acompanhe o Passo a Passo de como realizar a sua doação e conheça o projeto desenvolvido pela instituição.

Clique aqui: Campanha FIA - DARF 2016.pdf 

Torne-se nosso parceiro!

Final do Concurso Internacional de Violoncelos de Ouro Branco

Publicado
24 de Mar
2016

A semifinal do Concurso Internacional de Violoncelos movimentou Ouro Branco na tarde desta quarta-feira, 23 de março.

Os participantes da terceira edição do Festival de Violoncelos compareceram em peso no Hotel Verdes Mares para acompanhar a competição. O nível da disputa foi bastante alto. Não foi um trabalho fácil para os jurados Peter Dauelsberg, Olaf Niessing, Márcio Carneiro, Eduardo Swerts e Csaba Onczay.

Na categoria até 16 anos, as duas participantes eram as alemãs Emma Osterrider e Sophie Charlotte Rees.  Ambas foram classificadas para a final.

Já na categoria até 25 anos, participaram Brunno Thayer Rodrigues Silva, Gabriel Benedito Garcia Pires Gonçalves, Isaac Pires Andrade, Julia Wasmund, Lucas de Oliveira Santos, Miguel Balloussier Fernandes Braga e Thiago Henrique Moreira da Silva. Os finalistas são a alemã Julia Wasmund e o brasileiro Miguel Balloussier Fernandes Braga.

A final será nesta quinta-feira, 24 de março, com um concerto dos quarto selecionados às 20h30, no auditório do Hotel Verdes Mares. O resultado será anunciado pela banca logo após a apresentação. O concerto é aberto ao público e a entrada é franca. 

As entradas para os concertos são gratuitas.

O Festival de Violoncelos de Ouro Branco tem o patrocínio do Fundo Estadual de Cultura de Minas Gerais e Programa Música Minas, e apoio do Consulado Geral da República Federal da Alemanha – Rio de Janeiro, Universidade Federal de Alagoas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica de João Pessoa e Instituto Baccarelli.

 Casa de Música de Ouro Branco

A Casa de Música é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações na área de ensino e divulgação da música erudita. Criada em 2001 por um grupo de professores e pais de alunos, a entidade tem como principais objetivos promover a difusão e a divulgação do acesso à música, criar alternativas de inserção e incentivar o intercâmbio cultural e a carreira de jovens músicos.

Mais informações no site www.casademusica.org

Concurso Internacional de Violoncelos de Ouro Branco

Publicado
23 de Mar
2016

Jovens violoncelistas de diversos países se reúnem em Minas para disputar Concurso Internacional de Violoncelos

Festival de Violoncelos de Ouro Branco segue com programação intensa até o próximo sábado, dia 26

Teve início no último sábado, 19 de março, a terceira edição do Festival de Violoncelos, uma realização da Casa de Música de Ouro Branco. Até o próximo sábado, dia 26 de março, o evento apresenta uma programação intensa.

O movimento já é notório nas ruas de Ouro Branco e a música tomou conta da cidade. Afinal, são professores, músicos e 58 estudantes de diversas cidades brasileiras e outros países, como Alemanha e Chile. Jovens e até mesmo crianças se reúnem para celebrar um instrumento bastante especial.

Este ano, um dos momentos mais aguardados é o I Concurso Internacional de Violoncelos, que tem duas modalidades: até 16 anos e até 25 anos. De acordo com Kênia Libânio, coordenadora da Casa de Música, o concurso tem grande importância na formação de jovens músicos. “Não temos muitos concursos de violoncelo no Brasil. Então a oportunidade é única para enriquecer o currículo. Além disso, para nós que organizamos, é a chance de descobrir novos talentos”, ressalta.

Kênia explica ainda que o repertório escolhido pela banca examinadora é bastante desafiador. “Os músicos têm que estar aptos a apresentar um programa que exige técnica em um nível elevado. Tocar para uma banca é muito diferente de tocar para um professor”, explica.

Uma das participantes do concurso é a violoncelista alemã Julia Wasmund, de 23 anos, que pela terceira vez está no Brasil exclusivamente para participar do Festival de Violoncelos. Ela é aluna de Matias de Oliveira Pinto, diretor artístico e um dos idealizadores do festival, na Faculdade de Música de Münster, na Alemanha. “Desde 2013 venho para o Brasil para participar do festival. Adoro Ouro Branco, onde tive a oportunidade de fazer ótimos amigos e conhecer uma nova cultura”, conta Julia, que está bastante animada com o concurso.

Os jovens participantes treinam dia e noite, o que acaba envolvendo toda a família. O professor Luiz Antônio Fernandes Braga, da UFRJ, é um dos pais que está em Ouro Branco. Ele veio acompanhar o filho, o violoncelista Miguel Balloussier Fernandes Braga.  Aos 16 anos, Miguel – que estuda violoncelo desde os 8  e acaba de ser aprovado no curso de Música da UniRio - participa pela terceira vez do festival. “Costumo brincar que se tivermos mais 50 edições, estaremos em todas.  Moramos no Rio de Janeiro e fazemos questão de vir. A organização é impecável! Incentivo a participação do Miguel em festivais porque sei que eles apresentam uma outra visão sobre a música que o aluno desenvolve. Faz com que o estudante pare e pense nas peças que estuda diariamente. Sem falar na troca de experiência com alunos do mundo inteiro, o que é fantástico”, elogia o professor.

O Festival de Violoncelos de Ouro Branco oferece master classes, oficinas e promove recitais e concertos, vários deles com a participação dos alunos e professores. O evento tem a direção artística do violoncelista Matias de Oliveira Pinto, idealizador do projeto. Pedagogo muito solicitado, Matias é professor de violoncelo na Universidade das Artes de Berlim e na Faculdade de Música de Münster. Realiza extensas tournées pelos EUA, vários países da América do Sul, toda a Europa, Ásia, Nova Zelândia e Austrália, apresentando-se também em importantes festivais.

Também participam os violoncelistas Kayami Satomi (Brasil), Fábio Presgrave (Brasil), Peter Dauelsberg (Brasil), Márcio Carneiro (Brasil/Suíça), Olaf Niessing (Alemanha), Csaba Onczay (Hungria) Abel Moraes (Brasil) e Eduardo Swerts ( Brasil) a pianista Risa Adachi (Japão) e a acordeonista Claudia Buder (Alemanha)

Programação

A programação do Festival Internacional de Violoncelos de Ouro Branco teve início no sábado, 19 de março, com o concerto que reuniu Matias de Oliveira Pinto (violoncelo) e Claudia Buder (acordeão). Até sexta-feira, 25 de março, todos os concertos serão às 20h30, no auditório do Hotel Verdes Mares. No domingo, 20 de março, se apresentou o UDI Cello Ensemble, de Uberlândia. A orquestra de violoncelos é dirigida por Kayami Satomi. Criado em 2009, o Ensemble inclui em seu repertório obras nacionais e contemporâneas e conta com 30 estreias mundiais, que, em sua maioria, são obras dedicadas ao grupo. Esta é a terceira vez que o grupo participa do Festival de Violoncelos de Ouro Branco. A  noite de segunda-feira, 21 de março, teve início com a acordeonista Claudia Buder, com uma sonata de Scarlatti. Em seguida foi a vez do violoncelista Márcio Carneiro, que dedicou o repertório ao mestre da música barroca, Johann Sebastian Bach.O concerto de segunda-feira se destacou também pela participação especial de músicos que são também professores do festival, algum deles de outros países: Olaf Niessing, Czaba Onczay, Fábio Presgrave e Nicklas Erpenbach, aluno do Matias Oliveira Pinto em Münster.  Cada um deles se apresentou separadamente com repertório diversificado.

Já nesta terça-feira, 22 de março, o festival promove um dos encontros mais sonoros: piano e violoncelo. A pianista japonesa Risa Adachi acompanha os músicos Eduardo Swerts, na Sonata para violoncelo e piano Nr. 2, op.58, do alemão Felix Mendelssohn; o húnguro Czaba Onczay, que volta aos palcos, desta vez para tocar Robert Schumman; e Matthias Boutros, com Sonata nº 4 op 102 nº1, de Ludwig van Beethoven.

Na quarta-feira, 23 de março, será a vez do um repertório dedicado à música brasileira, possibilitando que os participantes de outros países conheçam melhor nossa cultura.  Os violoncelistas Matias de Oliveira Pinto, Fábio Presgarve, Marcio Carneiro, Csaba Onczay e a pianista Risa Adachi apresentam composições de Heitor Villa-Lobos, Ernesto Nazareth, Márcio Tavares, Martinho da Vila, entre outros.

Na quinta-feira, 24 de março, será realizada a última etapa do Concurso Internacional de Violoncelos, com apresentação dos finalistas. O resultado será anunciado pela banca logo após o concerto.

Sexta-feira, 25 de março, é a vez do Recital de alunos do III Festival de Violoncelos de Ouro Branco, com programa ainda a definir. O encerramento será no sábado, 26 de março,  com o Ensemble de Violoncelos, formado pelos participantes do festival. O grupo se apresenta às 20h30 na Capela de Santana do Hotel Fazenda Pé do Morro. No programa,  Sarabande e Gavotte, de J.S. Bach; Entr’acte et Barcarolle, de J.Offenbach;  Sardana e Canto dos Pássaros, de Paul Casals; Hymnus, de Julius Klengel; Reação em cadeia, de Jônatas Manzolli; Oblivion, de Astor Piazzolla; Rosa, de Pixinguinha; eCoco Peneruê, de W. Henrique.

As entradas para os concertos são gratuitas.

O Festival de Violoncelos de Ouro Branco tem o patrocínio do Fundo Estadual de Cultura de Minas Gerais e Programa Música Minas, e apoio do Consulado Geral da República Federal da Alemanha – Rio de Janeiro, Universidade Federal de Alagoas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica de João Pessoa e Instituto Baccarelli.

 Casa de Música de Ouro Branco

A Casa de Música é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações na área de ensino e divulgação da música erudita. Criada em 2001 por um grupo de professores e pais de alunos, a entidade tem como principais objetivos promover a difusão e a divulgação do acesso à música, criar alternativas de inserção e incentivar o intercâmbio cultural e a carreira de jovens músicos.

Mais informações no site www.casademusica.org

PROGRAMA

* As entradas para todos os concertos são gratuitas

22/03 – terça-feira

20h30 - Auditório do Hotel Verdes Mares

(rua Santo Antônio, 115, Ouro Branco)

Recital de violoncelo e piano

Eduardo Swerts 

 F.Mendelssohn   Sonata para violoncelo e piano Nr. 2,  op.58

I.Allegro assai vivace

II.Allegretto scherzando

III.Adagio

IV.Molto allegro e vivace

Csaba Onczay

Robert Schumann     Adágio e Allegro

Matthias Boutros

L.V.Beethoven  Sonata nº 4 op 102 nº1

  Andante, Allegro Vivace

  Adágio, Allegro Vivace

Pianista: Risa Adachi

23/03 – quarta-feira

20h30 - Auditório do Hotel Verdes Mares

(rua Santo Antônio, 115, Ouro Branco)

Noite Brasileira

Matias de Oliveira Pinto

Fábio Presgarve

Marcio Carneiro

Csaba Onczay

Risa Adachi (piano)

H.Villa Lobos  Quatro Estudos

    Canto da Terra

      Preludio

      Canto do Cisne Negro

    O trenzinho do caipira

Luciano Gallet    Elegia

Mário  Tavares    Ballada

Stephan Froleyks    Gotas Emaranhadas

Ernst Mahle    Duetos Modais

Osvaldo Lacerda    Choro Seresteiro

Ernesto Nazareth    Odeon

(Arr. Matias de Oliveira Pinto)

Martinho da Vila    Ex Amor

24/03 – quinta-feira

20h30 - Auditório do Hotel Verdes Mares

(rua Santo Antônio, 115, Ouro Branco)

Final do Concurso Internacional de Violoncelos

Programa

Categoria I – até 16 anos

Repertório a ser anunciado

Joseph Haydn  Concerto nº1 em Dó Maior

  I - Moderato

Categoria II – até 25 anos

Repertório a ser anunciado

Joseph Haydn    Concerto nº2 em Ré Maior

  I – Allegro moderato

 

25/03 – sexta-feira

20h30 - Auditório do Hotel Verdes Mares

(rua Santo Antônio, 115, Ouro Branco)

Recital de alunos do III Festival de Violoncelos de Ouro Branco

26/03 – sábado

20h30 - Capela de Santana do Hotel Fazenda Pé do Morro

(Rodovia MG 129, Km 174, Ouro Branco)

Ensemble de Violoncelos do Festival

Programa

J.S.Bach   Sarabande e Gavotte

J.Klengel   Hymnus 

 

J.Offenbach   Entr’acte et Barcarolle

Jônatas Manzolli  Reação em cadeia

P.Casals   Canto dos Pássaros

   Sardana

A.Piazzolla   Oblivion

Pixinguinha   Rosa

(Arr. Firsanov)

W.Henrique   Coco Peneruê

(Arr. Firsanov)

Lista dos aprovados para participar do III Concurso de Violoncelos

Publicado
14 de Mar
2016

III Concurso de Violoncelos de Ouro Branco

Segue a lista com os alunos aprovados para participar do Concurso:

Bruno Thayer Rodrigues da Silva

Emma Osterrieder

Gabriel Benedito Garcia

Isaac Pires Andrade

Julia Wasmund

Lucas de Oliveira Santos

Miguel Balloussier Fernandes Braga

Thiago Henrique Moreira

Sophie Charlotte Rees

Página 8 de 18