Quinteto de Sopros da Filarmônica de Minas Gerais

Publicado
01 de Ago
2014

Quinteto de Sopros da Filarmônica de

Minas Gerais se apresenta em Ouro Branco

Concerto promovido em agosto pela Casa de Música tem repertório com obras de Haydn, Ibert, Zequinha de Abreu e outros. A entrada é gratuita.

A Casa de Música dá continuidade à série Concertos para Ouro Branco, que tem como uma das propostas trazer para o interior de Minas grupos de destaque no cenário nacional e internacional da música erudita.  No dia 21 de agosto (quinta-feira),  às 20h, a cidade recebe o Quinteto de Sopros da Filarmônica de Minas Gerais, uma das mais importantes orquestras do país. 

O quinteto é formado pelos músicos Cássia Lima (flauta), Alexandre Barros (oboé), Marcus Julius Lander (clarinete), Catherine Carigan (fagote) e Alma Maria Liebrecht (trompa).

O concerto será realizado no auditório do Hotel Verdes Mares e tem um repertório diversificado.  A abertura será com Divertimento em Si bemol Maior,

“Charlote St. Antoni”, do austríacoFranz Joseph Haydn, uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do estilo clássico na música, durante o século XVIII.

 

Em seguida, o quinteto executa uma peça mais contemporânea, Cinco Danças Antigas Húngaras, de Ferenc Farkas, falecido no ano de 2000. O compositor trabalhou como professor na Academia de Budapeste e teve sua produção orquestral fortemente influenciada por Stravinsky. A obra  escolhida pelo quinteto é baseada no folclore húngaro.

A próxima obra é Trois Pièces Brèves, do francês Jacques Ibert. Ele compôs diversas peças para o cinema (como a música incidental de Macbeth, de Orson Welles, 1948), músicas para teatro, bailado e ópera. Ibert foi exímio representante da tradição da arte francesa, com humor e elegância.

A parte final do concerto destaca a música brasileira e suas raízes. O quinteto de sopros toca Flor Amorosa, de Joaquim Antônio da Silva Callado, considerado por muitos “o pai do choro”.  O encerramento fica por conta da música que tornou Carmem Miranda conhecida internacionalmente nos anos 1940 e que até hoje é sucesso nos mais diversos ambientes: Tico-tico no Fubá, de Zequinha de Abreu.

As entradas para o concerto é gratuita.

A Casa de Música conta com patrocínio da Gerdau, Milplan e White Martins através das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura.

Os músicos

Cássia Lima - Flauta

Bacharel em flauta pela UNESP, concluiu Mestrado e Artist Diploma na Mannes College of Music, em Nova York. Vencedora do “II Concurso Nacional de Jovens Flautistas e de Jovens Solistas” da Orquestra Experimental de Repertório em Nova York, do “Mannes Concert Competition” e o “Gregory Awards”. Foi docente da Universidade de Minnesota e flautista da Minnesota Orquestra regida por Charles Dutoit. Foi a Primeira Flaita e Solista da OSESP, integrando-se a Filarmônica de Minas em 2009 como chefe de naipe.

Alexandre Barros – Oboé

Iniciou seus estudos com o pai, Joaquim Inácio Barros, e foi aluno de Afrânio Lacerda, Gustavo Napoli, Carlos Ernest Dias e Arcádio Minczuk. Foi solista a frente das Orquestras Sinfônica de Minas Gerais, da UFMG, da UFOP, do SESIMINAS, da Filarmônica Nova, Sinfônica de Ribeirão Preto e OSESP. Alexandre é chefe de naipe da Filarmônica de Minas Gerais e professor na Fundação Clóvis Salgado.

Marcus Julius Lander – Clarinete

Bacharel em clarinete pela UNESP, na classe do professor Sérgio Burgani, foi aluno de Luis Afonso “Montanha”, na USP, e de Jonathan Cohler, no conservatório de Boston.Atuou como Spalla na Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e foi chefe de naipe na Orquestra Jovem de Guarulhos, do Instituto Baccarelli, e Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo. Integrou ainda a Orquestra Acadêmica da Cidade de São Paulo e o Quarteto Paulista de Clarinetas; representou o Brasil como artista residente do 8º Festival Internacional de Clariete e Saxofone, na China. Marcus Julius juntou-se a Filarmônica de Minas Gerais em 2009.

Catherine Carigan – Fagote

Natural do Canadá, iniciou seus estudos aos 12 anos, no Conservatoire de Musique du Québec, onde foi aluna de Michael Bettez, da Orquestre Métropolitan du Grand Montréal e do Nouvel Ensemble Moderne. Estudou com Nadina Mackie-Jackson na Glen Gould School of The Royal Academy of Music, Toronto, concluindo bacharelado no Consevatoire de Musique du Quèbec, sob instrução de Mathieu Harel, da Orquestre Symphony de Montrèal. Atuou como musicista substituta em várias orquestra do Canadá e foi segunda fagotista da Victoria Symphony Orquestre, tornando-se chefe de naipe na Filarmônica de Minas Gerais em 2008.

Alma Maria Liebrecht – Trompa

Nasceu em Maryland, Estados Unidos, estudou violino quando criança e, aos 12 anos, escolheu a trompa, recebendo orientação de Olivia Gutoff. Formou-se no Instituto Curtis de Música, com Jérome Ashby, e na Universidade de Yale, com William Purvis. Ajudou a fundar o grupo de câmara The Deconda e o quarteto de sopros DZ4. Em Nova York, apresentou-se com a Orquestra de Câmara Orpheus, as Sinfônicas de Princeton e Delaware, Talea Ensemble Argento New Music Project, Jupter Chamber Players e Sebastian Chamber Players. Na Sinfonietta de Hong Kong, foi trompa principal convidada. Alma é chefe de naipe da Filarmônica de Minas Gerais desde 2013.

Casa de Música de Ouro Branco

A Casa de Música é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações na área de ensino e divulgação da música erudita. Criada em 2001 por um grupo de professores e pais de alunos, a entidade tem como principais objetivos promover a difusão e a divulgação do acesso à música, criar alternativas de inserção e incentivar o intercâmbio cultural e a carreira de jovens músicos.

Mais informações: www.casademusica.org

SERVIÇO

Série Concertos para Ouro Branco

Quinteto de Sopros da Filarmônica de Minas Gerais

21 de agosto de 2014 (quinta-feira)

Local: Auditório do Hotel Verdes Mares (rua Santo Antônio, 115, Ouro Branco)

Horário: 20h

Entrada gratuita

Programa

Franz Joseph HAYDN  Divertimento em Si bemol Maior

“Charlote St. Antoni”

  Arranjo Harold Perry

  I – Allegro com spirito

  II – Andante quase allegreto – Chorale St.Antoni

III – Menuetto

IV – Rondó – allegreto

Ferenc FARKAS  Cinco Danças Antigas Hungaras

  I – Entrada: Allegro Moderato

  II – Lento: Moderato maestoso

  III – Dansa della scapole: Allegro quase Scherzo

  IV – Chorea: Moderato

  V – Saltarello: Allegro

Jacques IBERT  Trois Pièces Brèves

  I – Allegro

  II – Andante

  III – Allegro

J. A. S. CALLADO  Flor Amorosa

  Arranjo William Martins de Barros

Zequinha ABREU  Tico-tico no Fubá