Cravo e violão abrem a série “Concertos para Ouro Branco”

Publicado
13 de Mar
2013

 

Cravo e violão abrem a série

“Concertos para Ouro Branco”

Antonio Carlos de Magalhães e Celso Faria se apresentam dia 25 de abril com repertório que traz obras do barroco mineiro e de compositores como Bach e Villa-Lobos

A Casa de Música inicia a série “Concertos para Ouro Branco” com uma apresentação que reúne dois expoentes da música erudita: o cravista Antônio Carlos de Magalhães e o violonista Celso Faria. O encontro reafirma a vocação da entidade de difundir a cultura, formar público e novos músicos. O concerto será dia 25 de abril, quinta feira, às 20h, no auditório do Hotel Verdes Mares.

A apresentação tem início com o cravo de Antônio Carlos de Magalhães.  Nascido em Belo Horizonte, o músico (que também é pianista) já participou de turnês pela Europa e gravou três discos solo: “Sabará”, “O Cravo e a Rosa” e “Fortepiano no Brasil do séc. XIX”. Para o concerto em Ouro Branco, Antônio Carlos selecionou um repertório com alguns dos principais compositores do barroco mineiro. Como mostrou a pesquisa pioneira de Francisco Curt Lange, no fim do século XVIII e no início do XIX, o movimento musical produziu algumas das principais obras da musica erudita brasileira. Entre elas estão peças como “Salve Regina” e “Tercio”, de José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita; “Sicut Cervus”, de Manuel Dias de Oliveira e “Tota Pulchra” (Antífona), de João de Deus de Castro Lobo, todas incluídas no programa que Magalhães apresenta no recital.

A segunda parte do concerto traz o violão de Celso Faria. Especialista em musica brasileira e mestre em Performance Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais, Celso apresenta um repertório que se estende desde o período renascentista até o século XXI. O público terá a chance de apreciar composições como “Choros nº1”, de Heitor Villa-Lobos; “Prelúdio, BWV 995”, de J. Sebastian Bach e “Diferencias sobre ‘Guárdame las vacas’” , “Canción del Emperador” e “Baxa de Contrapunto”, do espanhol Luis de Narváez.

A entrada para o a apresentação é gratuita.

Série de Concertos para Ouro Branco

A série Concertos para Ouro Branco foi criada em 2004 e tem como principais finalidades a formação de público e a consolidação de um calendário cultural para a cidade de Ouro Branco.

As apresentações são realizadas por músicos e grupos de câmaras reconhecidos no cenário nacional e internacional da música erudita. A intenção é que a série atinja cada vez uma nova parcela da população da cidade, aumentando, assim, a ampliação do acesso à cultura. Por meio dos concertos, o público tem a oportunidade de conhecer as várias possibilidades de formação de grupos de câmara e repertórios da música erudita. Todos os concertos têm entrada gratuita.

SERVIÇO

Concerto de Cravo (Antônio Carlos de Magalhães) e Violão (Celso Faria)

Data: 25 de abril, quinta-feira

Horário: 20h

Local: auditório do Hotel Verdes Mares ( r. Santo Antônio, 115, Centro – Ouro Branco)

Entrada gratuita

Programa

Cravo

Anônimo (Séc. XVIII) – Acervo  Marcha dos Negros de Pamplona

da Lira Ceciliana de Prados

(Alleluya – Paschoa  )

Manuscrito de Piranga (Sec. XVIII)  Deus Deus Meus

Anônimo  Sonata 2ª (Sabará)

  Adágio

José Rodrigues Domingues de Meireles  Ó Lingua Benedicta

 

Caetano Rodrigues da Silva  Bajulans

 

João de Deus Castro Lobo  Tota Pulchra (Antífona)

Marcos Coelho Neto  Responsório Fúnebre

  I – Memento mei Deus

  II – Nec Aspiciat Me – Verso

  III – Kyrie

  IV – Resquiescat in Pace

Jerônimo de Souza    Salve Regina

(Antífona de Nossa Senhora)

  Francisco Gomes da Rocha  Marcha

 

  Manuel Dias de Oliveira  Sicut Cervus

José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita  Salve Regina

(Antífona de Nossa Senhora)

I - Larghetto

II - Allegro Larghetto

Tercio

I - Difusa est gratia

II - Padre Nosso/Ave Maria

III - Gloria Patri

Violão

Luis de  Narvaez    Diferencias sobre "Guárdame las vacas"

Canción del Emperador

Baxa de contrapunto

Johann Sebastian Bach    Prelúdio, BWV 995

Heitor Villa-Lobos  Choros nº1
Francisco Mignone  Lenda Sertaneja

Edino Krieger  Ritmata

Os músicos

Antônio Carlos de Magalhães

Pianista e cravista, nasceu em Belo Horizonte, estudou licenciatura em piano, na Escola de Música da UFMG. Bolsista do I Festival Internacional de Cravo em Porto (Portugal), é pós-graduado em práticas interpretativas em música brasileira pela Escola de Música da UEMG. Atualmente é diretor artístico do Programa Segunda Musical da Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Participou do Collegium Musicum de Minas (gravou 3 CDs) e do Camerata Athaide, com o qual realizou turnê nacional por 57 cidades no projeto Sonora Brasil – Sesc. Realizou e gravou o DVD da turnê “Antologia Musical nos Caminhos da Estrada Real”, Participou também da novela “Xica da Silva”, da Rede Manchete, e, por diversas vezes, do Programa Harmonia, da Rede Minas de Televisão. Realizou turnê solo em Portugal e em Colonia, Munique (Alemanha) e Viena (Áustria) com a saxofonista  Maria Bragança, com quem gravou o CD “Alma Barroca”; e turnê musical do CD "O cravo e a Rosa",  patrocinado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura de BeloHorizonte. Gravou 3 CDs solos:  “Sabará” , “O Cravo e a Rosa” e “Fortepiano no Brasil do séc. XIX” (Lei Rouanet) , participou dos CDs “Señora del Mundo”, “Origem” e “Ninguém morra de ciúme” do conjunto “Collegium Musicum de Minas”, além dos CDs “Alma Barroca” ,“A outra cidade” (Kristof Silva e outros), “Bigorna” (Cartoon) e  dos seguintes CDs de Celso Adolfo: "Celso Adolfo - Voz, violão e algumas dobras" e “Estrada Real de Villa Rica”.

Celso Faria

Nascido em Passos (MG) no ano de 1979, Celso Faria iniciou seus estudos musicais de maneira autodidata aos dez anos de idade. Em 1994 ingressou no “Curso de Formação Musical” da Escola de Música da UFMG, estudando na classe do professor José Lucena Vaz. Obteve o título de bacharel em violão na mesma instituição sob a orientação do professor Fernando Araújo. É especialista em Música Brasileira - Práticas Interpretativas - pela Universidade do Estado de Minas Gerais e Mestre em Performance Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais. Celso Faria também foi aluno de Beto Davezac na Fundação de Educação Artística. Celso Faria obteve várias premiações e tem se apresentado nas mais importantes cidades brasileiras, seja como recitalista de violão solo, integrante em formações camerísticas ou ainda como solista orquestral. Gravou ao vivo o cd Romencero Gitano com o “Coro Madrigale” para selo independente e participou do cd “100 anos de Arthur Bosmans” pelo selo “Minas de Som”.

Casa de Música de Ouro Branco

A Casa de Música é uma entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações na área de ensino e divulgação da música erudita. Criada em 2001 por um grupo de professores e pais de alunos, a entidade tem como principais objetivos promover a difusão e a divulgação do acesso à música, criar alternativas de inserção e incentivar o intercâmbio cultural e a carreira de jovens músicos.

Mais informações no site www.casademusica.org